Arqueologia Industrial

S. João da Madeira

A Associação Alão de Morais (ACAM), através do Centro de Arte, tomou a iniciativa de proceder a uma primeira abordagem de investigação e estudo da Arqueologia Industrial de S. João da Madeira. É parte dessa iniciativa que aqui se apresenta ao público.

Para este projeto foram convidados os fotógrafos; Aníbal Lemos; Duarte Belo; José A. Chambel; José Manuel Rodrigues.

 

“… São imagens de José Chambel, conquistado pelos gritos das manchas de luz que assenhoreiam as vidraças e iluminam recantos de maquinismos. Uma magnífica imagem deste fotógrafo mostra-nos a grandeza fílmica da verdadeira cidade industrial que é a Oliva. E é aí, nesse discurso de grandiloquência que José Chambel faz contrastar o funcionalismo dos equipamentos industriais e daquele telhado de madeira, bem trabalhado, iluminado num triângulo mágico de luz numa noite de chuva…”

Maria do Carmo Serém, Diacronias do Olhar: Arqueologia Industrial de S. João da Madeira, 1998